“Smart Growth: O Papel da Economia Circular”

Rescaldo da conferência ASWP/Serralves 2022.
“Smart Growth: O Papel da Economia Circular”

Partilhar

Depois de um longo período de eventos online, a conferência promovida pela Associação Smart Waste Portugal (ASWP) e pela Fundação de Serralves juntou presencialmente, num auditório completamente lotado, dezenas de interessados em ouvir quais os caminhos para a construção de um modelo baseado na economia circular.

Depois das boas-vindas de Ana Pinho, da Fundação de Serralves, e de Aires Pereira, presidente da direção Smart Waste, coube a Filipe Araújo, vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, terminar a parte quase introdutória ao tema principal. Paulo Portas, ex vice-primeiro ministro e ministro dos negócios estrangeiros, foi o primeiro convidado a subir ao palco. Portas sabe ler os mercados internacionais e desconstruir o porquê das suas variações, e foi por aí que pautou a sua intervenção. Começou com uma provocação, sem hesitar: o mais importante, para os próximos tempos, será a “capacidade de navegar no imprevisível”, especialmente no que respeita à crise de matérias-primas e impacto na economia, tema principal sobre o qual se debruçou. 

Com o auxílio de alguns gráficos e dados recentes, a apresentação evoluiu para uma reflexão que Portas pediu, seja de “racionalidade económica”. Assim como as percepções mudaram depois dos últimos grandes acontecimentos que abalaram o mundo – a pandemia de Covid-19 e agora o conflito entre a Rússia e a Ucrânia -, é “importante conciliar o que é urgente com o que é essencial”, e esta foi claramente uma chamada de atenção para as questões energéticas e para a dependência dos combustíveis fósseis. A conclusão lavou-nos para uma análise ao ciclo de vida dos produtos, para que seja possível aplicar, efetivamente, uma lógica de circularidade, de verdadeira sustentabilidade. 

Tendências e novos modelos de negócio 

“Qual é o estado atual da economia circular em Portugal? Quais as principais barreiras à transição circular? Quais são os negócios circulares em Portugal? Quais as tendências e ferramentas a aplicar?” foram as principais questões que orientaram a moderação dos dois painéis de debate. 

Novos modelos de negócio rumo à circularidade

Cada convidado teve oportunidade de falar genericamente sobre as empresas que representam bem como destacar alguns dos projetos mais relevantes para o tema. Em comum, a mesma preocupação em evitar resíduos e reaproveitar recursos. 

No caso da Seda, Silvex e BA glass, é curioso juntar algumas das ideias principais que cada uma das empresas produtoras de embalagens destacou, de acordo com os materiais que privilegiam na sua produção. A Seda, por exemplo, dedica-se às embalagens de papel e Anselmo Vilardebó evidenciou várias vezes o seu potencial de circularidade. A relevância de pensar no eco-design como garante da reciclabilidade no final da vida útil de cada embalagem foi referida pela Seda mas é comum a todos os intervenientes no painel. Para a BA glass, especializada em embalagens de vidro, a economia circular não é, de todo, novidade: “o vidro tem uma história antiga com a economia circular”, relembrou Sandra Santos. 

Na vez da Silvex, que utiliza maioritariamente o plástico na sua produção, Hernani Magalhães foi inevitavelmente confrontado pela moderadora, Ana Isabel Trigo Morais: “o plástico continua na mira de grandes debates e também de grandes equívocos”. Na verdade, como recorda Hernani, “antes da pandemia e da guerra, o plástico estava no centro do problema” – ou melhor, não o plástico em si mas o que fazemos com ele no fim de vida. São conhecidas as metas definidas e comuns para que até 2025 a incorporação de plástico virgem seja quase mínima. A “novidade” trazida para a conversa, ou para uma próxima conferência, prende-se com a questão dos bioplásticos e o que fazer com materiais que são recicláveis mas não compostáveis. 

Moderador: Ana Isabel Trigo Morais, Vice-Presidente da Associação Smart Waste Portugal

Oradores:

• Anselmo Vilardebó, Seda, International Packaging Group

• Catarina Dias, TMG Automotive

• Hernani Magalhães, Silvex

• Rui Correia, Sonae Arauco

• Sandra Santos, BA Glass

• Teresa Abecassis, Galp

Painel 2: Ferramentas para estimular uma economia mais circular

Smart Growth: O Papel da Economia Circular

Moderador: Luísa Magalhães, Diretora Executiva da Associação Smart Waste Portugal

Oradores:

• Elga Almeida, Sociedade Ponto Verde

• Fernando Leite, Lipor

• Fernando Ventura, Jerónimo Martins

• Miguel Angel San Roman, Minsait

• Paula Sardinha, CHEP Portugal

Artigos recentes

Comentários

0 Comments

Faça um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Pin It on Pinterest