Criado primeiro submarino que limpa microplástico da água

Dhruv Boruah é o principal nome em torno desta inovação, que promete revolucionar o transporte de mercadorias
oceano microplástico

Partilhar

Já todos ouvimos falar do inimigo invisível. Os microplásticos são minúsculas partículas, formadas a partir da decomposição de plástico, que estão a contaminar a saúde humana e o meio ambiente. E a dimensão do problema só parece aumentar. Já foi detetada a presença destas partículas em sangue humanoplacentaleite materno e até mesmo nas nuvens. Mais recentemente, ficamos também a saber que a água engarrafada que bebemos pode conter até 100 vezes mais microplástico do que pensávamos.

Orientada para o problema da contaminação das vias fluviais, a Oceanways é a empresa que está a desenvolver a primeira frota de submarinos sustentáveis, destinados ao transporte de mercadorias ao mesmo tempo que retiram o plástico da água por onde navegam.

Dhruv Boruah é o principal nome por detrás desta inovação. É ele o fundador e CEO da Oceanways, sediada na cidade norte-americana de Houston, depois de ter passado por várias empresas multinacionais de software e tecnologia.

Além de engenheiro, Dhruv Boruah é ativista no combate à poluição plástica. Em 2017, depois de desenvolver uma bicicleta flutuante feita de bambu que recolhe plástico com recurso a redes de pesca, lançou-se aos canais de Londres para uma jornada de limpeza do rio Tamisa. 

A ação cumpriu o objetivo de captar a atenção para o problema da poluição provocada pelo plástico descartado. Tornou-se viral e deu origem ao movimento The Thames Project, que desde aí tem promovido ações de limpeza de vias fluviais em outras partes do mundo. 

Depois de reunir a atenção do público e financiamento do governo inglês, o engenheiro lançou-se em 2021 ao desenvolvimento de um submarino que filtra microplásticos da água, a partir de material recuperado. Com isto, assumia a missão de eliminar 300 milhões de toneladas de carbono e plástico.

O primeiro protótipo do submersível foi apresentado durante COP 26, realizada em 2021 na cidade de Glasgow, Escócia. “Começamos com microplásticos e outros sensores de dados para entender o que está a acontecer no oceano e tomar ações apoiadas pela ciência no futuro”, declarou Boruah.

Finalmente, em fevereiro de 2023, a versão do submarino Perl/OW004 cumpre com sucesso a sua função em testes realizados no Oceano Atlântico, em Miami.

Agora, a Oceanways está agora a desenvolver a primeira frota destes modelos para que possam contribuir para um transporte de mercadorias sustentável e ajudar a limpar os oceanos da poluição de plástico. 

Na sua versão mais recente, o submarino Perl/OW004 L:

  • recolhe microplásticos e dados sobre a saúde dos oceanos durante o transporte de mercadoria;
  • é alimentado por baterias de hidrogénio limpo, com capacidade de navegar até 500 km;
  • está equipado com filtros especiais nas laterais para capturar microplásticos e microfibras. 
  • é construído com recurso à impressão 3D e materiais sustentáveis;
  • está equipado com câmaras, sensores para medir os níveis de pressão, temperatura e pH em cada etapa da viagem;
  • utiliza sensores especiais para detetar concentrações de microplásticos e determinar a profundidade ideal para navegação.

O objetivo da Oceanways é utilizar o microplástico recolhido para a produção de novos submersíveis.

Artigos recentes

Comentários

0 Comments

Faça um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest