O incontornável plástico

Poluição plástica foi um tema recorrente na Conferência dos Oceanos. 
Conferência dos Oceanos

Partilhar

Ao segundo dia da Conferência dos Oceanos (UNOC), David Vivas Eugui, responsável jurídico da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, foi claro: “somos viciados em plástico”, referindo-se à produção contínua e global. “Todos no mundo estão envolvidos, sejam países importadores ou exportadores”,  apontou, como citado pelo Público.

Chefes de Estado, investigadores, ONG’s, representantes de empresas e da sociedade civil reunidos para debater e impulsionar medidas que ajudem a solucionar problemas como a poluição, o aquecimento dos oceanos e a desoxigenação. Das conclusões, não sairão medidas efetivas mas sim orientações para que sejam redigidas e aplicadas diretivas globais para a preservação dos oceanos.

Da teoria à prática

Na abertura da UNOC, António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, denunciou o “egoísmo” de alguns países na negociação de um acordo global e apontou a Conferência de Lisboa como espaço privilegiado para preparar a cimeira agendada para agosto na qual será definido um tratado de protecção das águas internacionais em alto-mar.

Marcha Azul pelo Clima

A Marcha Azul pelo Clima reuniu umas centenas de manifestantes em Lisboa num apelo conjunto aos políticos para adotarem ações para salvar os oceanos. Um dos principais argumentos foi a urgência na recuperação dos ecossistemas marinhos, acabando com apoios financeiros à pesca não sustentável e exigindo um ‘travão’ à produção de plástico.  

DR Reuters/Pedro Nunes

Pode acompanhar a UNOC aqui: https://media.un.org/en/search/?q=&filter-term=6903&term-name=Conferences&filter-categories=Conferences&sort-by=date_desc

Na secção Azul do Público, os principais destaques noticiosos da Conferência dos Oceanos: https://www.publico.pt/interactivo/conferencia-oceanos-2022

Artigos recentes

Comentários

0 Comments

Faça um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Pin It on Pinterest