“Nenhum plástico deve acabar num aterro ou como lixo”

Nestlé investe 2 mil milhões de euros no desenvolvimento de embalagens sustentáveis.

A Nestlé, considerada a maior empresa agroalimentar do mundo com mais de 308.000 colaboradores e uma faturação global de quase 85.000 milhões de euros (dados oficiais de 2018), anunciou que vai investir 2 mil milhões de euros em investigação e desenvolvimento de embalagens feitas a partir de plástico reciclado.

No comunicado de imprensa, o CEO Mark Schneider assume o desafio que é “tornar o plástico reciclado seguro para alimentos” mas considera essencial que a indústria invista na inovação e no ecodesign das embalagens. “Nenhum plástico deve acabar num aterro ou como lixo” sublinha, acrescentando a ambição da empresa em assumir a liderança nesta mudança.

O compromisso, assumido em 2018, de tornar mais sustentáveis as embalagens da Nestlé terá, assim, um novo desenvolvimento. Ao reduzir o plástico virgem incorporado e tornando todas as embalagens 100% recicláveis, o grupo detentor de mais de 2000 marcas presentes em 190 países reduzirá a pegada ecológica de forma significativa.

Na perspetiva de uso responsável do plástico, esta medida pode configurar um exemplo para a indústria agroalimentar mundial. Para Andrew Morlet, da Fundação Ellen MacArthur, “ao eliminar os plásticos de que não precisamos, inovando nos modelos de reutilização e novos materiais (…), podemos criar uma economia onde o plástico nunca será desperdício. O cumprimento dos compromissos anunciados contribuirá significativamente para a concretização dessa visão.”

Para este futuro sem desperdício do plástico, é essencial o investimento na inovação na área das embalagens, quer seja na incorporação de materiais reciclados ou na utilização de materiais alternativos. Na Nestlé, a investigação interna está a cargo do Instituto de Ciências da Embalagem, mas o grupo irá investir também num fundo de apoio a projetos empreendedores nesta área.

No sector agroalimentar, onde garantir a conservação e segurança dos alimentos é vital, as embalagens levantam muitas questões, nomeadamente no que respeita à incorporação de plástico reciclado em contacto direto com os alimentos. Contornados alguns problemas e garantida a qualidade alimentar, o objetivo da Nestlé, conforme assumido por Mark Schneider, é tornar os plásticos efetivamente recicláveis de forma infinita: “queremos fechar o círculo e tornar mais plásticos infinitamente recicláveis.”