Nações Unidas negoceiam tratado para a poluição plástica

Fundação Ellen MacArthur e WWF lançam campanha de apoio à iniciativa.
TRATADO DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU) PARA AJUDAR A RESOLVER A POLUIÇÃO POR PLÁSTICO

Partilhar

Para que exista oficialmente um tratado intergovernamental sobre a poluição por plástico, os estados-membros irão reunir-se no âmbito da Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEA 5.2). Um ano após a primeira parte do encontro, as negociações internacionais serão retomadas entre 28 de fevereiro e 2 de março. O principal objetivo é a definição de um tratado global que ajude a solucionar o problema da poluição por plástico. 

Tempo de agir

Iniciativa conjunta da Fundação Ellen MacArthur e do World Wildlife Fund – WWF, a plataforma unplasticstreaty.org funciona como manifesto de apoio à iniciativa global, vinculada pela ONU. A campanha, lançada a 31 de janeiro, é um apelo para que o desafio de resolver o problema do plástico seja encarado como uma missão conjunta e que os governos acionem, efetivamente, todos os meios. “Cerca de 2 milhões de pessoas em todo o mundo, 700 grupos da sociedade civil, mais de 70 empresas globais e quase todos os países membros da ONU” apoiam este apelo, segundo a organização. 

“Não há tempo a perder” é a mensagem principal. A crise da poluição por plástico agrava-se de dia para dia e não há fronteira que a trave: “Países e organizações não podem resolver o problema por conta própria, por meio de acordos voluntários e medidas existentes”, lê-se na plataforma. Por essa razão, deve encarar-se como “um desafio global que precisa de uma resposta coordenada e alinhada globalmente”.

A próxima Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente é, por isso, um momento único para iniciar as negociações para um tratado neste âmbito. Através desta campanha, a Fundação Ellen MacArthur e o WWF contam mobilizar os seus parceiros para a divulgação da campanha, como demonstração de apoio e chamada de atenção para a urgência de ação global para travar a crise do plástico. 

A Sonae MC, da qual o Continente faz parte, foi a primeira empresa de retalho em Portugal a subscrever o Compromisso Global da Fundação Ellen MacArthur. O trabalho progressivo que tem vindo a fazer foi reconhecido com destaque no último reporte da iniciativa.

O que esperar de um tratado global?

A possibilidade de antecipar o problema e não apenas encontrar formas de o solucionar é um dos pontos destacados no website de apoio ao tratado. Na perspetiva de encontrar uma economia circular para os plásticos, por exemplo, é possível projetar os resíduos antes de serem criados. Outro ponto importante é estabelecer padrões globais que ditem de uma forma clara como atuar perante o problema. Capacitar todos os países envolvidos no tratado, através de conhecimento e ferramentas, é outro dos requisitos fundamentais apontados pela Fundação Ellen MacArthur e pelo WWF. 

Através da plataforma, é possível acompanhar o progresso do futuro tratado global das Nações Unidas.

Artigos recentes

Comentários

0 Comments

Faça um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Pin It on Pinterest