“Ligar as pessoas à natureza mesmo estando dentro de casa”

Aprenda mais sobre o planeta com as sessões organizadas pela ANP/WWF.

A ANP/WWF (Associação Natureza Portugal/ World Wildlife Fund) está a organizar sessões virtuais de educação ambiental. O desafio? Explorar o planeta a partir de casa. Com sessões para todas as idades, a ANP disponibiliza recursos educativos da WWF que podem ser utilizados pelos professores e educadores nesta fase em que a aprendizagem se faz longe da escola e do exterior.

Cátia Nunes, uma das responsáveis pela iniciativa, explica que “estas sessões foram pensadas com o intuito de ligar as pessoas à natureza”, mesmo estando dentro de casa. Especialmente num momento como o que vivemos, salienta, “é essencial despertar a ligação e a paixão pela natureza”.

A proposta da ANP passa por abordar temas como “a natureza existente nas cidades”, observando a biodiversidade através da janela, mas também aprender receitas saudáveis, por exemplo. A nutrição é muito importante para a saúde “mas também para a sustentabilidade”, explica Cátia, e por isso sugere aprender mais “sobre a origem e método de produção” dos ingredientes. A água é outro dos temas abordado nas sessões educativas: “Vamos discutir pequenos truques que todos podemos fazer no nosso dia-a-dia” para “gerir a água que gastamos dentro de casa.”

O programa é diversificado, há sessões para toda a família e uma exclusiva para professores. Pode aceder à página da ANP/WWF ou clicar diretamente em cima da sessão que mais lhe interessa, no dia e hora anunciados, e assistir online:

30 DE MARÇO

18h00-19h00: Generation Earth Portugal – Queres seres um líder ambiental? (16-25 anos)
(Programa de formação para jovens da WWF em Portugal. Sessão informativa para quem pretende criar os seus projetos de conservação, por exemplo)

31 DE MARÇO

10h00-11h00: Descobrir a Natureza através da janela! (Pais e filhos dos 3-6 anos) (Criação de um guia de observação da natureza pela janela. Que animais e plantas cada um consegue observar e desenhar?)

11h00-12h00: Quem sabe desenhar o ciclo da água? (6-9 anos) (Nesta sessão, a ideia é “pôr em prática o que aprenderam na sala de aula.” Em conjunto, desenhar o ciclo da água e “perceber o quão importante é este ciclo para o Planeta e para a vida humana”, como descrito na página da ANP)

15h00-16h00: Como gerir a água em nossa casa? (10-15 anos)

2 DE ABRIL

10h00-11h00: Como podemos salvar o planeta sem sair de casa? (6-9 anos) (Os vídeos da série documental ‘O Nosso Planeta’ da Netflix, narrada por David Attenborough, servirão de apoio à sessão. O programa inclui “desafios para as crianças realizarem em casa com os pais”.)

16h00-17h00: Recursos Educativos “O Nosso Planeta” (Profissionais de ensino) (Uma sessão para mostrar aos professores, educadores e outros profissionais de ensino como podem utilizar os recursos educativos “O Nosso Planeta”, dentro e fora da sala de aula.)

6 DE ABRIL

10h00-11h00: A história contada pelo lobo-ibérico… (Todas as idades a partir dos 3 anos)
(Histórias sobre o lobo-ibérico. Para todas as idades)

18h00-19h00: Generation Earth Portugal – Queres seres um líder ambiental? (16-25 anos) (Sessão informativa sobre o programa de formação para jovens da WWF em Portugal.)

8 DE ABRIL

10h00-11h00: Cozinheiros por um dia: Vamos fazer lanches saudáveis e sustentáveis! (Todas as idades a partir dos 3 anos) (Mais uma atividade para toda a família: receitas saudáveis e sustentáveis a pensar na saúde e no planeta.)

11h00-12h00: A nossa casa depende do que os ecossistemas nos dão? (6-9 anos)
(Nesta sessão, a ANP desafia os mais novos a mostrarem algo que tenham em casa e que seja importante para que depois, em conjunto, tentem descobrir qual a sua origem.)

A iniciativa arrancou a 24 de março com uma sessão dedicada ao cavalo-marinho. “Descobrimos que o cavalo-marinho é um peixe muito especial”, conta Cátia Nunes. Viram-se vídeos e as crianças foram desafiadas para criarem desenhos, “esculturas de plástico, escreverem uma carta ou até mesmo uma dança” para mostrarem “quão importantes são os cavalos-marinhos e o habitat onde alguns deles vivem, as pradarias marinhas”. Já falaram também da pegada de carbono “recorrendo a materiais como cartolina, aguarelas e marcadores”. A ideia é utilizar aquilo que temos em nossa casa e “que nos foi dado pela natureza, a casa de todos nós”.

Qualquer questão pode ser diretamente colocada a Cátia Nunes: cnunes@natureza-portugal.org

Fique em casa, aprenda e divirta-se!