Equipamentos de futebol feitos com garrafas de plástico recicladas

Seleção cabo-verdiana é a mais recente embaixadora do ambiente.

A nova camisola da seleção cabo-verdiana de futebol é feita com 75% de plástico reciclado, equivalente a 13 garrafas de plástico recolhidas no oceano. O projeto, da Adidas e da Parley for Oceans, transforma resíduos de plástico recolhidos em zonas costeiras em fibras de tecido (o poliéster, por exemplo, é um polímero largamente utilizado no setor têxtil). Através desta parceria, a marca desportiva tem reduzido a pegada ecológica na confeção dos seus produtos ao mesmo tempo que contribui para diminuir a poluição provocada pelo plástico.

Para a federação cabo-verdiana de futebol, “Sendo Cabo Verde um país oceânico, de ilhas, sendo o símbolo da federação os tubarões”, é importante “conjugar essas várias nuances de forma a podermos ter um amigo do ambiente”, como salientou Paulo Santos, responsável pela comunicação. Apesar de não existir uma política ambiental para recolha de plásticos, a perspetiva dos cabo-verdianos é que, no futuro, seja possível utilizar resíduos recolhidos nas praias do país.

A seleção dos “Tubarões Azuis”, como é conhecida a seleção de Cabo Verde, foi notícia mas outras equipas já têm equipamentos amigos do ambiente, como é o caso do Real Madrid, da Juventus e das seleções da Alemanha e da Bélgica.

A Adidas já tinha anunciado que até 2024, deixará de utilizar plástico virgem nos seus produtos. Entre calçado desportivo e vestuário, cerca de 50% da composição dos produtos da marca é poliéster e a responsabilidade ambiental do gigante mundial tem-se refletido em algumas iniciativas como a parceria com a Parley.