Covid-19: Máscaras sustentáveis

Garrafas de plástico reutilizadas são transformadas em máscaras.

Embora o seu uso não seja consensual, as máscaras de proteção individual, não-cirúrgicas, parecem estar a transformar-se no novo acessório utilitário do dia-a-dia. As recomendações mundiais apontam para um regresso gradual à normalidade com precauções de prevenção do contágio da covid-19, nomeadamente prevendo o uso das também chamadas máscaras de uso social em superfícies comerciais e transportes públicos.

Alguns modelos de máscaras, como aquelas habitualmente utilizadas pelos profissionais de saúde, são descartáveis e não é possível reciclá-las – foi a própria secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa, a recomendar que as máscaras descartáveis sejam deitadas no lixo comum e não no ecoponto. No entanto, a oferta de máscaras reutilizáveis para uso social é cada vez maior. Se optar por usar máscara de tecido, tenha o cuidado de seguir as orientações de higienização das mãos, de colocação e de lavagem (são aconselháveis as temperaturas de lavagem elevadas, acima dos 60 graus).

Apesar de não ser uma recomendação consensual, será cada vez mais comum o uso de máscaras de proteção individual, por exemplo. nas idas ao supermercado.

Reutilizar garrafas de plástico para fazer máscaras

Por iniciativa da PADI – Professional Association of Diving Instructors (Associação Profissional de Instrutores de Mergulho), um grupo de mergulhadores está a recolher garrafas de plástico para que sejam reutilizadas na confeção de máscaras de proteção individual. Simbolicamente, esta ação evita que as garrafas acabem abandonadas na natureza. Em parceria com a marca Rash’R, dedicada ao vestuário ecológico, a PADI está a produzir cinco modelos diferentes, um deles pensado para crianças até aos 10 anos. Se conseguirmos proteger a nossa saúde e, ao mesmo tempo a saúde do planeta, estamos a contribuir para um futuro mais sustentável.  

DR FB PADI. Os próprios padrões das máscaras recriam ambientes marinhos.