Continente poupa 4,2 mil toneladas de plástico virgem por ano

Através das iniciativas desenvolvidas para reduzir a utilização de materiais de plástico, o Continente já alcançou um nível de poupança correspondente a 4,2 mil toneladas/ano deste material, o que representa um crescimento de 90% em relação às 2,2 mil toneladas/ano anunciadas em abril 2019 na plataforma www.plasticoresponsavel.continente.pt que comemora agora o seu 1º aniversário.

Além das toneladas de plástico virgem eliminadas (entre eliminação de plástico considerado desnecessário e substituição de material virgem por reciclado), a marca substituiu ainda 50 toneladas de plástico com baixa reciclabilidade (como o PVC) por outros materiais mais fáceis de reciclar (como o PET) dos seus produtos.

O Compromisso assumido pelo Continente para uma utilização responsável do plástico reflete-se nas iniciativas próprias, mas também dos fornecedores. Desde 21 de janeiro deste ano que as bananas da Madeira chegam às lojas presas com uma cinta elástica que une os cachos em vez do anterior saco de plástico. Uma alternativa que permitirá uma poupança anualizada de 11 toneladas de plástico virgem.  A alteração desta embalagem não é exclusiva do Continente, mas aconteceu no retalho alimentar devido ao desafio lançado em 2019, pela Sonae MC, ao fornecedor de bananas da Madeira, para encontrar uma solução de embalagem mais amiga do ambiente.

Um saco da padaria 100% reciclável é outro dos projetos do Continente. Este é o primeiro e único saco de papel, entre os operadores de retalho alimentar em Portugal, com uma ‘janela’ (que permite ver o conteúdo do saco) totalmente reciclável (em material celulósico) e permitirá a poupança anualizada de 94 toneladas de plástico.

Em alternativa, também já é possível pedir ao colaborador de padaria para maximizar a quantidade de produtos por saco, juntando diferentes referências ou até levar os seus próprios sacos de casa. Se utilizar um dos sacos do pão de pano que a marca tem à venda, até ao final do mês, acumula 10% do valor gasto em padaria em cartão Continente.

2020 é também o ano em que chegou um novo saco de peixaria. O objetivo é desenvolver um novo conceito de saco de papel, 100% reciclável, revestido no interior por uma fina camada de plástico (polietileno) para não permitir o derrame de líquidos. A vantagem destes sacos é que após a utilização, o cliente conseguirá separar facilmente os dois materiais, destacando na traseira do saco a zona assinalada. O plástico poderá ser colocado no contentor amarelo e o papel no azul. Com esta alteração, a Sonae MC pretende reduzir em mais de 40% a utilização de plástico nestes sacos, evitando a utilização anualizada de 70 toneladas de plástico virgem.

Para Pedro Lago, Diretor de Projetos de Sustentabilidade da Sonae MC “o Continente, enquanto retalhista líder no mercado, tem um papel fundamental na promoção da utilização responsável do plástico, contribuindo para reduzir a quantidade de plástico nas embalagens dos produtos de marca própria e influenciando fornecedores, colaboradores e clientes para que tenham um papel ativo neste trabalho que é responsabilidade de todos”.

Enquanto agente ativo na promoção de hábitos de consumo conscientes, o Continente assumiu o compromisso de antecipar para 2025, a ambição definida pela União Europeia para 2030, de reduzir (ou mesmo eliminar quando possível) a utilização de materiais de plástico de origem fóssil, no que diz respeito aos produtos de marca própria, assegurando que todos eles têm embalagens reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis.