Oceanos sem Plásticos

A Associação Oceanos sem Plásticos nasceu há cerca de um ano da vontade de agir de Tiago Duarte, amante da natureza, inconformado com o cenário cada vez mais poluído da nossa costa. Começou por ser uma iniciativa local, de limpeza do rio Sizandro, no concelho de Torres Vedras, e evoluiu para um projeto de âmbito nacional cujo propósito é retirar os plásticos de todas as praias do país.

Depois de concorrer ao orçamento participativo do município de Torres Vedras e de angariar fundos através de uma campanha de crowdfunding, a Oceanos sem Plásticos já é uma referência nas redes sociais para quem procura informação sobre ações organizadas para limpeza das nossas praias e de boas práticas relacionadas com questões ambientais.

Imagem captada por voluntários durante uma ação de limpeza.

Fizemos algumas perguntas aos responsáveis pela Associação a propósito do futuro, da plataforma que estão a construir e das iniciativas que estão a organizar:

“Limpar os rios até às praias” é o nome do vosso primeiro projeto. Foi assim que começou? A partir de uma iniciativa local, em Torres Vedras, partiram para parcerias no resto do país?

O fundador do projeto e atual presidente da Associação Oceanos sem Plásticos (Tiago Duarte) é um amante das caminhadas, em especial junto à costa. Nas suas longas caminhadas junto ao mar começou a ver cada vez mais plásticos nas praias e nas arribas e sendo um amante da natureza decidiu fazer a diferença, tentando encontrar uma solução que ajudasse a resolver o problema.

Em plena caminhada, surgiu então a ideia pioneira de criar um site de sensibilização que tivesse dois contadores de recolha, um com a quantidade de plásticos removida do ambiente e outro com o peso desses mesmos plásticos. Muitos portugueses falam da problemática dos plásticos nos oceanos mas poucos são os que já tomaram uma atitude. Este site tem então como objetivo colocar os portugueses a agirem, a fazerem a diferença através de ações de limpeza, enviando posteriormente os resultados para este site/plataforma, atualizando os contadores. Nasce assim a Associação Oceanos sem Plásticos, com âmbito nacional. O projeto “Vamos limpar os rios até às praias” surge no âmbito de uma candidatura ao Orçamento Participativo e é um dos nossos projetos de sensibilização para crianças.

Do orçamento participativo à bem-sucedida campanha de crowdfunding: em que fase está esse plano específico de estabelecerem parcerias com todos os concelhos do litoral? Já arrancaram com algumas ações?

Para resolvermos este problema temos que mobilizar para esta causa todos os concelhos do litoral de Portugal, incluindo ilhas. Ambicionamos encontrar parceiros em todos os concelhos Portugueses com litoral, quer sejam instituições, grupos informais, escolas, escuteiros, grupos de amigos, entre outros. Cada parceiro terá que promover pelo menos 3 ações de limpeza por ano, mas sabemos que muitos fazem mais de 10, pelo que estimamos realizar mais de 500 ações por ano. Todos os dados serão depois inseridos nos contadores do site/plataforma, entusiasmando todos os portugueses para recolherem cada vez mais lixo marinho e juntando-se a todos os parceiros nesta luta pelo ambiente e pelo futuro dos nossos filhos. Neste momento já temos 18 parceiros de Norte a Sul do país e procuramos chegar aos 45 nos próximos 12 meses. Contamos inaugurar o site/plataforma muito em breve.

Biblioteca Oceanos sem Plásticos
A Oceanos sem Plásticos acabou de lançar uma biblioteca inovadora (setembro de 2019): para quem quiser ler mais sobre temas relacionados com o Ambiente, sem ter que comprar os livros. Basta consultar os títulos disponíveis (para já, apenas através das redes sociais da Associação), entrar em contacto com a Oceanos sem Plásticos e suportar os custos de envio.

Neste momento, a Oceanos sem Plásticos é também uma plataforma de partilha de boas práticas. 10.000 seguidores e um grupo ativo de partilha de ideias é bastante significativo. Além da Biblioteca Oceanos, que outras iniciativas têm em mente? (ou já em curso)

De facto, 10.000 seguidores é algo que nos deixa com orgulho, tendo a Associação apenas um ano. As nossas redes sociais já têm um alcance de dezenas de milhares de pessoas, mas procuramos crescer ainda mais para fazermos a diferença. Trabalhamos para que a população em geral se consciencialize que este fenómeno do plástico (e excesso dele) realmente existe e realmente tem impacto, tanto na vida marinha como na cadeia alimentar e na saúde humana, e trabalhamos fundamentalmente para que haja primeiro uma mudança de mentalidade e depois de comportamento.
Estamos igualmente a criar um projeto de limpeza das arribas, onde se encontra todo o tipo de lixo. É impressionante o que encontramos nas arribas portuguesas, desde sofás, frigoríficos, telhas com amianto, entulho de obras e muito deste lixo está acumulado há décadas…

O lixo plástico que dá à costa vem, muitas vezes, do outro lado do mundo.

Quantas pessoas estão ‘oficialmente’ ligadas à associação? Têm ideia de quantidade de plástico que já recolheram em ações de limpeza?

Incluindo os nossos parceiros, estimamos ter dentro de 12 meses mais de 2000 voluntários em todo o país. Lançamos o convite para que faça a diferença em família ou entre amigos e entre em contacto connosco através do e-mail oceanosemplasticos@gmail.com

Oceanos sem Plásticos nas redes sociais:
https://www.facebook.com/oceanosemplastico/
https://www.instagram.com/oceanosemplasticos.pt/