Um mundo sem poluição plástica? Depende do que faremos juntos.

Relatório anual do compromisso global New Plastics Economy.

A Fundação Ellen MacArthur e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente divulgam hoje o primeiro relatório deste ano do progresso do Compromisso New Plastics Economy, que revela os esforços dos governos, grandes empresas, universidades e organizações mundiais que se uniram, assim, no combate ao plástico desnecessário.

Desde 2010 que a Fundação criada por Ellen MacArthur tem como missão acelerar o processo de transição global para uma economia verdadeiramente circular. O projeto evoluiu para aquilo que é hoje uma das organizações mundiais que lideram o debate e a definição de práticas ambientalmente sustentáveis de acordo com a área de atuação de cada parceiro.

Com a colaboração das universidades e centros de investigação associados, a fundação trabalha para desenvolver as melhores abordagens, economicamente viáveis, para a aplicação de modelos de gestão mais circulares.A Sonae MC, da qual o Continente faz parte, orgulha-se de ser um dos signatários deste compromisso global e a primeira empresa de retalho nacional que o assinou, ao lado de algumas das maiores empresas do mundo.

The New Plastics Economy: uma nova economia global

A iniciativa New Plastics Economy da Ellen MacArthur Foundation conta com a colaboração do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e é assinada por mais de 400 organizações mundiais que partilham a mesma visão de que o plástico não se transforme em desperdício. Apontando possíveis soluções, este compromisso, criado em outubro de 2018, serve de base à definição de metas concretas adaptadas à realidade de cada parceiro, de acordo com objetivos comuns: antecipar para 2025 as metas europeias estabelecidas para 2030. De uma forma faseada, as principais ambições deste compromisso global são eliminar os objetos de plástico desnecessários, redesenhar as embalagens, apostar na inovação para que todo o plástico possa ser reutilizável, reciclável ou compostável, e assegurar que todo o plástico que usamos é utilizado de forma circular e dissociado do consumo de recursos finitos.

Progressos e metas a alcançar

Neste relatório, a fundação partilha os progressos que os quase 400 signatários do compromisso New Plastics Economy têm feito na definição de uma economia circular para os plásticos.

A incorporação de mais plástico reciclado nas embalagens, a eliminação do plástico desnecessário e os esforços de inovação para que todas as embalagens sejam 100% reutilizáveis, recicláveis ​​ou compostáveis, por exemplo, ​​são metas comuns em que o Continente tem trabalhado com afinco e com resultados significativos de acordo com o compromisso assumido pela própria marca. O ecodesign das embalagens de marca própria já permitiram uma poupança anual de mais de 1589 toneladas de plástico virgem (dados do quarto trimestre de 2018).

No website da fundação, é possível explorar vários recursos sobre a iniciativa New Plastics Economy e sobre Economia Circular e consultar uma biblioteca online com publicações sobre ambiente e sustentabilidade.