Subscreva a nossa newsletter

Fazer um uso mais responsável do plástico é uma missão de todos nós.

Embarque connosco nesta jornada por uma vida mais sustentável.

 

Um “supermercado” de plástico no coração de Nova Iorque

Exposição de arte a partir de sacos de plástico reutilizados.

Imagine um supermercado comum em que todos os produtos são feitos de plástico. Em plena Times Square, Nova Iorque, foi inaugurada uma exposição que é, toda ela, uma instalação interventiva. “The Plastic Bag Store” recria um supermercado a partir de milhares de sacos de plástico reciclados, com clara mensagem de alerta para a quantidade absurda de plástico descartável e desnecessário utilizado diariamente para embalar todo o tipo de produtos.

Um dos “produtos” The Plastic Bag Store. DR Times Square Arts

“Uma ode tragicómica à eternidade do plástico” – é assim apresentada a exposição da artista norte-americana Robin Frohardt. Inaugurada a 22 de outubro, visitável gratuitamente até 7 de novembro, a exposição coincide com a proibição de utilizar sacos de plástico descartáveis no estado de Nova Iorque que tinha sido temporariamente suspensa devido à pandemia de covid-19. Promovida pela Times Square Arts, uma plataforma pública de apoio à arte contemporânea, esta “loja de sacos de plástico” (traduzindo, à letra, o nome da exposição) é introduzida no site como “uma lente crítica para nossa cultura de consumo e conveniência” e para as consequências do uso desmedido de plástico de uso único.

Nas palavras da artista, a exposição “é uma experiência que, esperançosamente, encoraja uma maneira diferente de pensar sobre a eternidade do plástico e a permanência do descartável”, com um toque humorístico. “É a minha tentativa de fazer algo autêntico e humano a partir do que é produzido em massa”, continua. Para Robin Frohardt, o humor e a sátira podem ser ferramentas poderosas para a crítica social – neste caso, com o consumismo debaixo de mira.

Robin Frohardt. DR Times Square Arts

O vídeo, em jeito de visita virtual -“The Plastic Bag Store – em parte um filme, em parte uma instalação, tudo com sacos de plástico”: