“Isto faz-se por cá”: Plástico Responsável foi tema de conversa

Entrevista com Ana Alves, diretora de marcas próprias da Sonae MC.

Partilhar

Entrevista com Ana Alves, diretora de marcas próprias da Sonae MC.

Isto faz-se por cá” é uma rubrica semanal de informação da RDP Internacional, dedicada a projetos inovadores feitos em Portugal. O projeto Plástico Responsável foi tema de conversa num dos programas e foi Ana Alves, diretora de marcas próprias, a porta-voz da Sonae MC (da qual o Continente faz parte).

“Uma plataforma digital onde os consumidores podem ter acesso a todo um mundo de informação sobre o plástico e a sua utilização consciente” foi a apresentação que serviu de mote à entrevista. Para Ana Alves, o microsite lançado a 22 de abril de 2019, há quase um ano, materializa as iniciativas que já estavam a ser desenvolvidas pelo Continente e que, entretanto, assumiram a forma de compromisso. “No fundo, abrimos a porta para contarmos a nossa história”, explicou Ana Alves, “o que estamos a fazer em torno do uso responsável do plástico.”

Ana Alves, diretora de marcas próprias da Sonae MC

Questionada sobre os motivos que levaram a Sonae MC a assumir uma posição perante o problema do plástico e se teve que ver ou não com pressões externas, Ana Alves relembrou que “a preocupação com os temas ambientais está no ADN da empresa”. Desde 1985 que o Continente conta com um grupo de trabalho nesta área, hoje estruturado como Direção de Ambiente. No entanto, apesar de não ser uma questão recente, a diretora de marcas próprias da Sonae MC admitiu que “a pressão atual é muito maior” e os consumidores estão “muito mais atentos”.

Outro ponto destacado por Ana Alves é a posição da Sonae MC, que não é, de todo, a de abrir “guerra ao plástico”. Relembrou que foi a utilização do plástico que, durante muitos anos, “permitiu chegar de forma democrática” com alimentos a muita gente, que “de outra forma não era possível”. Um material barato, que permitiu prolongar o prazo de conservação dos produtos. Ana Alves reconhece que “o uso e abuso” do plástico se tornou insustentável para o planeta “não só porque usamos muito” mas, acima de tudo, porque não lhe damos “um destino final correto”. Se o ciclo não é fechado, torna-se tudo mais complicado: “Achamos que era importante não só falar dos nossos compromissos”, mas também do “papel de cada um neste ciclo”.

Pode ouvir a entrevista completa aqui.

Isto Faz-se por cá“, todas as sextas na RDP Internacional

Artigos recentes

“Um dia para mudar os próximos”

Lisboa acolheu a National Geographic Summit 2022 para refletir sobre o “planeta possível”, com base na coexistência sustentável entre humanos e natureza.

Comentários

0 Comments

Faça um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Pin It on Pinterest