“Isto faz-se por cá”: Plástico Responsável foi tema de conversa

Entrevista com Ana Alves, diretora de marcas próprias da Sonae MC.

Isto faz-se por cá” é uma rubrica semanal de informação da RDP Internacional, dedicada a projetos inovadores feitos em Portugal. O projeto Plástico Responsável foi tema de conversa num dos programas e foi Ana Alves, diretora de marcas próprias, a porta-voz da Sonae MC (da qual o Continente faz parte).

“Uma plataforma digital onde os consumidores podem ter acesso a todo um mundo de informação sobre o plástico e a sua utilização consciente” foi a apresentação que serviu de mote à entrevista. Para Ana Alves, o microsite lançado a 22 de abril de 2019, há quase um ano, materializa as iniciativas que já estavam a ser desenvolvidas pelo Continente e que, entretanto, assumiram a forma de compromisso. “No fundo, abrimos a porta para contarmos a nossa história”, explicou Ana Alves, “o que estamos a fazer em torno do uso responsável do plástico.”

Ana Alves, diretora de marcas próprias da Sonae MC

Questionada sobre os motivos que levaram a Sonae MC a assumir uma posição perante o problema do plástico e se teve que ver ou não com pressões externas, Ana Alves relembrou que “a preocupação com os temas ambientais está no ADN da empresa”. Desde 1985 que o Continente conta com um grupo de trabalho nesta área, hoje estruturado como Direção de Ambiente. No entanto, apesar de não ser uma questão recente, a diretora de marcas próprias da Sonae MC admitiu que “a pressão atual é muito maior” e os consumidores estão “muito mais atentos”.

Outro ponto destacado por Ana Alves é a posição da Sonae MC, que não é, de todo, a de abrir “guerra ao plástico”. Relembrou que foi a utilização do plástico que, durante muitos anos, “permitiu chegar de forma democrática” com alimentos a muita gente, que “de outra forma não era possível”. Um material barato, que permitiu prolongar o prazo de conservação dos produtos. Ana Alves reconhece que “o uso e abuso” do plástico se tornou insustentável para o planeta “não só porque usamos muito” mas, acima de tudo, porque não lhe damos “um destino final correto”. Se o ciclo não é fechado, torna-se tudo mais complicado: “Achamos que era importante não só falar dos nossos compromissos”, mas também do “papel de cada um neste ciclo”.

Pode ouvir a entrevista completa aqui.

Isto Faz-se por cá“, todas as sextas na RDP Internacional