Subscreva a nossa newsletter

Fazer um uso mais responsável do plástico é uma missão de todos nós.

Embarque connosco nesta jornada por uma vida mais sustentável.

 

Subscreva a nossa newsletter

O cocó dos bebés está cheio de microplásticos

Crianças apresentam dez vezes mais partículas nas fezes do que os adultos. 

Os bebés, especialmente os mais pequenos, quando começam a explorar o mundo à sua volta fazem-no com a boca. Ou melhor, tudo o que apanham tendencialmente é dirigido à boca. Brinquedos, roupa, garrafas, muitos desses objetos feitos de plástico. Será essa a razão para que as fezes dos bebés tenham dez vezes mais microplásticos do que as dos adultos? 

Crianças apresentam dez vezes mais partículas de plástico nas fezes do que os adultos. 

De acordo com um estudo recente publicado na revista Wired, a presença de PET e de policarbonato nas fezes das crianças de um ano e dos recém-nascidos que participaram no estudo é alarmante, comparativamente aos resultados obtidos com os adultos. Os bebés apresentam dez vezes mais partículas de plástico do que os adultos. 

A preocupação maior prende-se com o desenvolvimento infantil, que pode efetivamente ser afetado do ponto de vista endócrino, já que os químicos presentes nos referidos tipos de plástico podem ser nocivos para o sistema hormonal. 

Um dos co-autores do estudo, Kurunthachalam Kannan, cientista de saúde ambiental da Escola de Medicina da Universidade de Nova Yorque, explicou à Wired que “o desenvolvimento do corpo das crianças depende de um sistema endócrino saudável e o oposto afeta os primeiros estágios da vida”. A próxima fase da investigação é, precisamente, perceber os reais efeitos desses microplásticos no corpo das crianças. 

Para já, sabendo que os bebés estão a eliminar microplásticos nas fezes, é possível que o intestino absorva algumas dessas partículas da mesma forma que absorve nutrientes dos alimentos. Nesse “caminho”, é possível, até, que microplásticos cheguem a outros órgãos.