Subscreva a nossa newsletter

Fazer um uso mais responsável do plástico é uma missão de todos nós.

Embarque connosco nesta jornada por uma vida mais sustentável.

 

Subscreva a nossa newsletter

#ExijoForaDaCaixa pela redução das embalagens desnecessárias

Nova campanha da Deco Proteste pressiona Governo para reduzir embalamento excessivo. 

“Mais de 1050 toneladas de embalagens desnecessárias” é a estimativa anual avançada pela Deco Proteste sobre a quantidade de embalagens que os portugueses compram anualmente. “O equivalente a 175 elefantes”, comparam. É no sentido de reduzir estes números e pressionar o Governo e as marcas a repensar as embalagens que a Deco lançou a campanha #ExijoForaDaCaixa.

Apesar de 86% das embalagens identificadas pela associação de defesa do consumidor serem de papel e cartão, o plástico continua a estar presente desnecessariamente – não considerando, evidentemente, os casos em que o plástico assegura a conservação do produto e o prolongamento da vida útil dos alimentos. Um dos exemplos apontados é o do queijo fatiado e dos legumes frescos, quando vendidos em embalagem de esferovite e película. Também o plástico que por vezes envolve produtos cosméticos e eletrónicos é questionado. Outro exemplo de embalagem desnecessária é a das pastas de dentes com caixa de cartão, uma das embalagens que o Continente eliminou dos produtos de marca própria.

DR Deco Proteste

#ExijoForaDaCaixa

“O excesso de embalagem dos produtos agrava o consumo de recursos naturais e gera mais desperdício”, introduz o objetivo da campanha no site que lhe é dedicado. “Vamos pressionar o Governo e trabalhar com as marcas para reduzir as embalagens desnecessárias”, apresenta a Deco. Na página #ExijoForaDaCaixa, dedicada à campanha, a Deco desafia os consumidores a partilhar exemplos de embalagens excessivas. “Estes exemplos facilitarão o trabalho de construir novas soluções com as marcas e poderão ser incluídos como novas categorias nesta campanha”, como é explicado. 

A associação propõe ainda “10 soluções para mudar o mercado”, que passam por trabalhar com as marcas para que simplifiquem as embalagens utilizando apenas um tipo de material, por exemplo, ou “uniformizar o tipo de embalagens colocadas no mercado”.

As 10 soluções propostas pela Deco Proteste na campanha #ExijoForaDaCaixa para reduzir as embalagens desnecessárias: 

1. Trabalhar com as marcar para que otimizem a forma como incluem a informação obrigatória no seu produto. Por exemplo, colocar essa informação na embalagem primária ou em rótulos desdobráveis colados a ela.

2. Eliminar o embalamento de frutas frescas e vegetais frescos, contribuindo para a redução dos resíduos e do desperdício.

3. Otimizar os produtos em embalagens agrupadas ou multipack (como iogurtes ou bebidas), criando ligações mínimas entre cada embalagem individual, de modo a reduzir a quantidade de plástico ou cartão.

4. Eliminar a utilização de embalagens secundárias em produtos em que não há qualquer valor acrescentado (por exemplo, pastas de dentes).

5. Banir progressivamente as embalagens que recorram ao uso de diferentes tipos de materiais (por exemplo, embalagens que misturam plástico e papel, como as de pen drives e auscultadores). Os produtores deverão optar por embalagens feitas de apenas um material, para facilitar a sua reciclagem.

6. Uniformizar o tipo de embalagens colocadas no mercado, cumprindo as normas de ecodesign definidas para cada tipo de produto, de modo a assegurar que não são usados materiais com impacto negativo na triagem e na reciclagem.

7. Adaptar a capacidade de embalagem à quantidade/volume de produto embalado, exceto nas situações em que, de forma comprovada, seja necessária embalagem extra para efeitos de conservação.

8. Possibilitar a venda a granel de produtos sem necessidades especiais de conservação (por exemplo, produtos de limpeza e alimentos como café em grão e leguminosas secas).

9. Promover a reutilização de embalagens secundárias e terciárias ao nível do transporte e do armazenamento, sempre que for possível.

10. Definir limites mínimos para incorporar material reciclado na produção de embalagens, exceto quando a conservação do produto não o permita.

Fonte: #ExijoForaDaCaixa