Subscreva a nossa newsletter

Fazer um uso mais responsável do plástico é uma missão de todos nós.

Embarque connosco nesta jornada por uma vida mais sustentável.

 

Subscreva a nossa newsletter

Skizo cria saco para recolher os microplásticos libertados nas lavagens de roupa

Saco é produzido a partir de redes de pesca descartadas nas praias portuguesas. 

Depois de sapatilhas e de máscaras sociais, a Skizo voltou a inovar, apresentando mais um produto feito com o mesmo material: plástico recolhido nas praias portuguesas. A novidade é um saco para lavagem de roupa que evita que os microplásticos libertados pelas fibras têxteis “viagem” na água até aos rios e ao mar. As redes de pesca descartadas foram a matéria-prima principal. 

Recolher, transformar e reutilizar o plástico recolhido nos oceanos

Quando, há um ano, falámos com Andreia Coutinho, uma das criadoras da Skizo, a produção de calçado estava parada e a necessidade pedia outro tipo de produto.“Tivemos de reinventar-nos”, contou Andreia na altura, e assim surgiu a ideia de produzir máscaras sociais, quase como “um dever e uma obrigação de continuar com a recolha de plástico”. 

Os produtos da Skizo são feitos a partir de plástico recolhido na costa portuguesa por pescadores locais. Depois de limpo e triturado, o lixo é transformado em pequenas bolas de plástico reciclado que dará origem a um fio têxtil. Se inicialmente o plástico recolhido pela Skizo era transformado em matéria têxtil apenas para a produção de calçado, em 2020 começaram a aplicá-lo também às máscaras sociais e agora a sacos para lavagem de roupa. “A ideia dos sacos coletores surgiu no ano passado quando começamos a produzir as máscaras sociais”, explicou André Facote, co-criador da Skizo. Conta que perceberam, ele e Andreia, que era “possível bloquear micro fibras com diâmetros inferiores a 50 mícrones”, tal como a maioria das micro fibras libertadas durante as lavagens de roupa e que acabam por ir parar aos caudais dos rios e por aí fora. O objetivo “é reter o maior número possível de micro plásticos e micro fibras”, continua. Para a produção dos sacos de lavagem são utilizadas redes de pesca descartadas que dão origem a poliamida termofixa, um tipo de polímero, e poliéster produzido a partir de plástico recolhido nos oceanos.

DR Skizo

Utilizar o saco de lavagem é simples, basta enchê-lo com cerca de dois terços de roupa sintética e colocar a lavar na máquina, juntamente com outras peças. “Como os sacos são feitos com uma camada fina de poliamida com aberturas de cerca de 50 mícones, as fibras que se possam libertar das roupas sintéticas ficam retidas no saco e podem ser descartadas para a reciclagem de plástico”, explicou André. Em termos de eficácia, os testes efetuados mostram que cerca 70 a 80% das partículas ficam retidas no saco.

A Skizo irá apresentar novidades nas próximas semanas. “Tanto em novos produtos como na utilização de novos materiais que iremos transformar em têxtil”, avançou André. A marca portuguesa já tinha anunciado a intenção de produzir roupa a partir de fio próprio.

DR Skizo