Subscreva a nossa newsletter

Fazer um uso mais responsável do plástico é uma missão de todos nós.

Embarque connosco nesta jornada por uma vida mais sustentável.

 

Subscreva a nossa newsletter

Bactérias “pegajosas” podem ajudar a resolver o problema dos microplásticos

Investigadores de Hong Kong desenvolveram biofilme bacteriano.

E se, de uma forma natural e universal, pudéssemos capturar os microplásticos na água? Uma equipa de investigadores da Universidade Politécnica de Hong Kong descobriu uma propriedade “pegajosa” num tipo de bactérias e com ela é capaz de criar uma “bolha” que trava as pequenas partículas. Os microplásticos capturados nessa barreira natural poderão depois ser reciclados.

Apesar de a investigação estar ainda numa fase embrionária, os resultados apresentados no congresso anual da Microbiology Society mostraram-se promissores para o desenvolvimento de uma solução sustentável para travar o problema dos microplásticos. 

Segundo um artigo do The Guardian, tendencialmente as bactérias agrupam-se para conseguirem aderir às superfícies, criando uma substância pegajosa. Uma “comunidade” de bactérias pode, por isso, formar uma espécie de película a que se chama biofilme. Um exemplo comummente apontado é o da placa bacteriana dos dentes, formada pela acumulação de bactérias presentes na boca e por resíduos alimentares.

Recorde: Afinal, qual é o problema dos microplásticos

A descoberta da equipa desta universidade de Hong Kong partiu da bactéria Pseudomonas aeruginosa, que origina um biofilme capaz de travar e incorporar na sua camada pegajosa microplásticos que flutuam na água. Em grande escala, este sistema natural poderá impedir que as milimétricas partículas de plástico contaminem os ecossistemas aquáticos.