Subscreva a nossa newsletter

Fazer um uso mais responsável do plástico é uma missão de todos nós.

Embarque connosco nesta jornada por uma vida mais sustentável.

 

Subscreva a nossa newsletter

Brinquedos: podem ou não ser reciclados?

Brinquedos: podem ou não ser reciclados?

A resposta costumava ser “não”, mas o projeto Plastic Replay está a tentar mudar isto.

Umas vezes porque as crianças crescem e perdem o interesse por determinados brinquedos, outras porque eles se estragam, surge a dúvida: o que fazer com estes objetos?

Caso estejam em bom estado, não os deite fora, doe-os a amigos ou a instituições de solidariedade social. Mas se não puderem ser reutilizados, o ecoponto amarelo não é o destino correto. Apesar de muitos brinquedos serem fabricados em plástico, não podem ser colocados no ecoponto amarelo, indicado unicamente para embalagens. Brinquedos em fim de vida, por norma, devem ser colocados no lixo comum. 

Porém, há um programa em ação para permitir a reciclagem destes artigos. Trata-se do projeto-piloto “Plastic Replay”, da Zero Waste Lab e da Precious Plastic PT, que tem por objetivo criar a primeira rede de recolha e triagem de brinquedos estragados.

O Plastic Replay estima que em Portugal, todos os anos, vão parar a aterro cerca de 30 milhões de brinquedos. A iniciativa pretende mudar a situação, criando uma economia circular para estes objetos alicerçada nas comunidades locais. 

Como funciona a reciclagem de brinquedos do Plastic Replay

Recolha

O Plastic Replay pede a colaboração de todos. Como o projeto não tem recursos humanos para separar as peças de todos os brinquedos que venham a ser entregues, pede às famílias que as separem previamente. Agora que as crianças estão em casa, preparar brinquedos velhos para reciclagem pode ser uma atividade bem divertida, para além de educacional.

Desmonte todos os brinquedos e faça a separação, usando um saco ou uma caixa para cada tipo de componente. São aceites plástico, borrachas, pilhas, circuitos elétricos, metal, madeira e cartão. 

No final, conte as peças de cada um dos materiais e submeta os números no formulário de contabilização disponível no site do Plastic Replay. Estes dados servirão não só para avaliar o impacto do projeto, mas também para conhecer a complexidade dos brinquedos existentes no mercado e poder sugerir alternativas de construção mais simplificadas e amigas do ambiente. 

No fim deste processo, é só entregar num ponto de recolha.

Para saber mais, consulte o guia de entrega de brinquedos do Plastic Replay.

Processo de reciclagem 

O plástico será enviado para os laboratórios de transformação da Precious Plastic existentes no Porto, Figueira de Castelo Rodrigo, Cascais, Lisboa e Évora. Aí será primeiramente triturado e depois levado para diferentes máquinas, onde o calor e a pressão vão permitir moldá-lo e transformá-lo num novo brinquedo.

O Plastic Replay tem alguns modelos simples de brinquedos, como peões e puzzles, mas está à procura de um design inovador. Por isso, está a desafiar os estudantes de Design de Produto da ESAD – Escola Superior de Design e Artes e da Escola de Artes da Universidade de Évora a desenharem um protótipo revolucionário, educativo e sustentável. O concurso será lançado em breve e a proposta vencedora será fabricada pela Precious Plastic.

Os componentes eletrónicos e as pilhas serão encaminhados para a empresa Electrão, e os restantes materiais seguirão para os normais fluxos de reciclagem ou, em alternativa, reutilização em upcycling.

Há ainda uma parte do plástico que será enviada para a empresa Extruplás para criar caixas de troca de brinquedos. Estas caixas serão colocadas em parques infantis públicos para que as famílias possam trocar brinquedos entre si, prolongando o tempo de vida dos objetos.