Nadar numa piscina de lixo para provar a poluição

Em Lourosa, Santa Maria da Feira, o Dia Mundial da Água foi assinalado com uma ação de sensibilização dirigida aos alunos do 3º e 4º anos, que foram surpreendidos com uma piscina coberta de lixo plástico a boiar.

Instituído pelas Nações Unidas, 22 de Março é dia de lembrar a importância da Água. Um dos principais objetivos deste dia é debater os problemas relacionados com o acesso à água potável e à sua preservação. A mensagem deste ano, “não deixar ninguém para trás”, traduz bem um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável identificado como prioridade para transformar o nosso mundo: garantir água potável e saneamento para todos. No entanto, um dos grandes problemas ambientais da atualidade é o efeito da poluição dos plásticos nos oceanos. O impacto nas espécies tem sido brutal: diariamente são divulgadas imagens de animais com quilos e quilos de lixo no estômago. A iniciativa conjunta da escolaglobal e da HMC Sports teve como principal intuito transmitir às cerca de 100 crianças presentes algumas das dificuldades sentidas pelos animais marítimos quando confrontados com a presença de lixo plástico no seu habitat natural, promovendo, ao mesmo tempo, uma maior consciencialização sobre o problema.

Nuno Moutinho, diretor da escolaglobal, destaca a preocupação pedagógica em formar os alunos “para que possam tornar-se cidadãos capazes de transformar o mundo”. Esta iniciativa, ideia da direção pedagógica, vai de encontro à missão de “ajudar a construir o dia de amanhã, numa escola que é global” e foi entusiasticamente abraçada pela HMC Sports. Pretendíamos com esta ação despertar a comunidade escolar para o papel ativo que podem ter na redução do lixo nos oceanos e sensibilizá-la para a importância da preservação do meio ambiente”, enfatiza Nuno Moutinho.

A primeira reação das crianças foi de espanto mas prontamente se voluntariaram para participar nas atividades propostas. Através da dinamização de jogos, semelhantes aos habitualmente praticados na praia, a organização optou por “não dar orientações aos miúdos para além do funcionamento de cada jogo, de modo a que a reação ao lixo fosse espontânea” explica Catarina Cardoso, da HMC Sports.

Vídeo de resumo da ação.

Naturalmente, o lixo acabou por ser recolhido e colocado no ecoponto. Esta iniciativa ajudou as crianças a perceberem o impacto que estes resíduos têm na água e na vida das espécies marinhas e, possivelmente, a mensagem passará além escola, ao ser partilhada com as famílias, educadores e com a comunidade no geral, enquanto exemplo de boa prática.

Nota da organização: todos os plásticos foram sujeitos a um processo de higienização.