Quem é Boyan Slat, o jovem que quer limpar o oceano e mudar o mundo?

Desde 2004, que as Nações Unidas distinguem as personalidades que mais contribuem para a preservação do Meio Ambiente através de projetos e ações com resultados efetivos. Aos 18 anos, Boyan Slat foi o mais novo galardoado de sempre, em 2014, num rol de líderes mundiais.

Atualmente a frequentar o curso de engenharia aeroespacial, Boyan Slat, jovem inventor holandês, tem tentado encontrar a melhor forma de “barrar” os plásticos que navegam nos nossos oceanos com o seu Ocean Cleanup.

Mas… quem é Boyan Slat?

Boyan nasceu em 1994, em Delft, Holanda. Nasceu inventor: desde miúdo que se entretinha a construir coisas novas. Aos 14 anos, conquistou um recorde do Guiness, ao coordenar o lançamento de 213 foguetes de água em simultâneo.

Três anos depois de impressionar o mundo pela primeira vez, Boyan foi fazer mergulho na Grécia e constatou que parecia haver mais plástico no mar do que peixes…. e decidiu empenhar-se em encontrar uma solução para limpar os oceanos. Em 2013, criou a Ocean Cleanup e conseguiu angariar fundos através de uma campanha de crowdfunding – mas só depois da sua apresentação numa conferência TEDx se tornar viral é que os donativos começaram a chegar vindos de todo o mundo.

Seguiu em expedição para o Pacífico, para perceber de que forma se poderia começar a trabalhar efetivamente na limpeza dos oceanos. Recolheu lixo, levou-o para análise, começou uma investigação com base nos diferentes tipos de plásticos encontrados. Apoiado na tecnologia, chegou a conclusões impressionantes sobre o que anda, afinal, a boiar no oceano e a ‘afundar’ as espécies.

Ilustração do sistema criado por Boyan Slat para barrar os plásticos que flutuam no oceano

Missão impossível? Parece que não: Boyan Slat criou um sistema de recolha dos resíduos que ‘flutua’ de acordo com as correntes marítimas, ‘travando’ os plásticos como se fosse uma espécie de barreira ancorada. Concentrando os resíduos, facilmente se podem recolher. Impressionado? Segundo as previsões de Boyan, é possível limparmos os oceanos em apenas 5 anos (!).

Além da distinção das Nações Unidas, em 2016 a revista Forbes considerou-o um dos 30 jovens mais influentes do mundo abaixo dos 30 anos, em 2017 a Reader’s Digest nomeou-o “Europeu do Ano” e em maio de 2018 foi a vez da Euronews o galardoar com o prémio de “Empreendedor Europeu do ano”.