Pensar “para lá do plástico de uso único”

Conferência acontece a 11 de Junho, no Porto e conta com a participação da Sonae MC

“Há Engenharia onde há ação contra a poluição. Há Engenharia onde há transformação. Há Engenharia onde há escolhas para a redução do plástico. Há Engenharia em tudo o que há à nossa volta”. O mote, lançado pelo Colégio de Ambiente da Ordem dos Engenheiros da Região Norte (OERN), convida à reflexão sobre as soluções que Ciência e Tecnologia podem desenvolver e que a Engenharia poderá pôr em prática – aliadas a uma mudança de mentalidade sobre o uso responsável do plástico.

A iniciativa “Beyond single-use plastics irá decorrer durante a manhã do dia 11 de junho na sede da OERN, na Baixa do Porto, e a inscrição é gratuita e aberta a membros e a não membros da Ordem.

Pensamento e intervenção: um programa pensado para todos

Entretanto, numa acção organizada pela OERN com o apoio da Federação Académica do Porto, FEUP, ISEP, da associação FOCA e da Lipor, foram recolhidas mais de 5 mil garrafas de plástico que serão  reutilizadas pelo coletivo artístico Skeleton Sea em frente à estação de metro da Trindade, no mesmo período que decorre a conferência.  Também na Trindade, empresas e associações envolvidas neste evento irão dar a conhecer aos transeuntes algumas alternativas ao plástico e partilhar informações relevantes sobre o seu uso responsável.

Informação alusiva à campanha de recolha de garrafas de plástico

Para a OERN, nas palavras da coordenadora do Colégio de Ambiente, Maria João Brochado Correia, “o tema dos plásticos é muito atual, no entanto há demasiada informação confusa e mesmo contraditória sobre o mesmo”. A ideia de juntar engenharia, empresas, artistas plásticos e universidades neste evento, surgiu “numa perspectiva de clarificação e apresentação de soluções” e a iniciativa foi desenvolvida com um conjunto alargado de parceiros (entre os quais a Sonae MC). A posição do Colégio de Ambiente sobre o problema da poluição plástica “é de educação e mobilização, porque o mundo ainda não está preparado para de repente vivermos sem plástico. A questão que levantamos aqui é o plástico de uso único e a utilização responsável do plástico.”

Sobre o diálogo entre diferentes intervenientes ser uma parte importante na solução deste e de outros problemas, Maria João Brochado Correia assume o importante papel do Colégio de Engenharia do Ambiente “numa perspetiva de promover a resolução de questões ambientais na nossa sociedade, enaltecendo o nosso talento. Cabe-nos a todos – engenheiros, líderes, gestores, técnicos e demais – trabalharmos em prol das soluções para este problema. Porque só em parceria conseguiremos assegurar futuro para as próximas gerações”.

A sessão de abertura contará com a presença do Secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde, e as intervenções seguem-se com os contributos, entre outros, do Município do Porto, da LIPOR, Agência Portuguesa do Ambiente e da Sonae MC, representada por Pedro Lago, diretor de Sustentabilidade e Economia Circular. Há ainda espaço para um debate sobre projetos que representam alternativas inovadoras aos plásticos de uso único, como é o caso do calçado da Zouri e a Tailored Tiles, que reutiliza plástico na conceção de revestimento decorativo para paredes.