Festival da Comida Continente: desempenho ambiental

Pelo terceiro ano consecutivo, o parque da Cidade do Porto recebeu o Festival da Comida Continente, com cerca de meio de milhão de visitantes durante os dois dias do certame. Num evento desta dimensão, é indispensável antecipar a gestão de resíduos e evitar ao máximo o plástico descartável. Para isso, o Continente associou-se à Sociedade Ponto Verde para a implementação de boas-práticas ambientalmente sustentáveis.

Pelo recinto passaram cerca de 500 mil pessoas durante os dois dias do evento

Com um espaço próprio no recinto, com atividades pensadas para toda a família, a Sociedade Ponto Verde dinamizou passatempos cujo propósito foi, essencialmente, (re)educar os participantes esclarecendo todas as dúvidas que a separação do lixo doméstico por vezes suscita. Além disso, os mochileiros da Sociedade Ponto Verde, em movimento constante por todo o recinto, transportaram ecobags para recolha seletiva dos resíduos.

Sobre esta presença ativa da Sociedade Ponto Verde neste e noutros eventos, Teresa Cortes, gestora de Marketing e Comunicação, acrescenta que “é também uma oportunidade de estar junto da população, das famílias, e retirar quaisquer dúvidas que existam.”

Durante o certame, a Sociedade Ponto Verde avaliou a organização e as marcas parceiras na minimização do impacto ambiental dos resíduos produzidos e atribuiu a Certificação 3R6 ao Festival da Comida Continente como reconhecimento do bom desempenho ambiental de todos.“Desta forma, conseguimos garantir que o evento tem uma pegada ecológica minimizada e que cumpre com as melhores práticas de sustentabilidade”, esclareceu Teresa Cortes.

Os mochileiros da SPV andaram por todo o recinto do FCC a fazer a recolha seletiva de resíduos e a dinamizar atividades

Logo na fase de planeamento do evento, o Continente adoptou algumas medidas para evitar a utilização de plástico descartável, com o aconselhamento da Sociedade Ponto Verde. “O Continente optou por ter o copo reutilizável, o que já reduz imenso o desperdício de copos que se tinha anteriormente. Existem também embalagens biodegradáveis – houve aqui uma preocupação grande com a redução dos plásticos descartáveis. Ainda assim, aquilo que é utilizado em plástico podem colocar no ecoponto amarelo e as soluções estão todas cobertas, em reciclagem e em redução”, explicou Teresa Cortes durante a entrevista.