Campanhas de choque ou realidade chocante?

Uma imagem, uma frase forte. Há campanhas publicitárias que são verdadeiras obras de arte pela forma como conseguem apelar às emoções. Sobre o problema do lixo plástico, a abordagem das agências de publicidade tem sido agressiva. Ou melhor, a abordagem tem sido realista, logo, chocante: o objetivo? Mudar comportamentos.

Há campanhas que vale a pena conhecer ou recordar, por isso fizemos um apanhado de algumas das mais criativas e impactantes. Para pensar.  

“You eat what they eat” (“Tu comes o que eles comem”)

Campanha criada pela Ogilvy Alemanha para a Sea Shepherd Conservation Society, uma organização sem fins lucrativos criada por um dos fundadores da Greenpeace e que atua essencialmente na conservação marinha. As imagens transmitem bem a mensagem: “o lixo plástico está a inundar os nossos oceanos” e, consequentemente, estamos a comer o que as espécies comem… plástico.

“Rise above Plastics” (“Suba acima dos plásticos”)

Com uma missão semelhante à da Sea Shepherd Conservation Society, a Surfrider Federation dedica-se à protecção dos oceanos e da costa, conta com uma rede mundial de parceiros e promove ações globais. Nesta campanha, criada pela agência americana Pollinate, as imagens provocadoras e o slogan simples trazem, no seu conjunto, o problema do lixo de plástico para a cadeia alimentar e fazem-nos refletir sobre as consequências diretas da ingestão de plástico por parte dos animais e de microplásticos pelos humanos:

Curiosamente, esta campanha data de 2012 e continua a ser um exemplo de comunicação eficaz do tema.

Corais de plástico: o apelo da WWF em 2011

Pela mesma altura, em 2011, a WWF (criatividade BBDO) lembrava que 70% do plástico vai parar aos oceanos:

“Devias ter vergonha!”

Uma abordagem recente e diferente sobre o plástico de uso único: o supermercado canadiano East West Market sugere que os clientes “deviam sentir vergonha” quando utilizam os sacos de plástico disponíveis nas caixas. Para os relembrar que devem reutilizar, a marca personalizou os sacos de plástico com frases algo embaraçosas que sugerem, por exemplo, que no interior o cliente leva pornografia ou medicamentos para o trato intestinal. Um bocadinho rebuscado mas com alguma criatividade:

O mote? Evite a vergonha. Traga um saco reutilizável.  

#BeatPlasticPollution (“Combate a poluição plástica”)

Para assinalar o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de Junho), a Environmentalist Foundation of India com a ajuda da agência TinyTall criaram uma campanha de sensibilização sobre o impacto do lixo de plástico nas espécies marinhas. Através de imagens fortes, a campanha transmite bem o seu propósito:

“Don’t Suck the Life From Our Oceans” (“Não sugues a vida dos nossos oceanos”)

Criatividade da agência Rethink para a Greenpeace Canadá. Realidade do que está a acontecer à vida marinha: a ser sugada pelo lixo de plástico que se acumula nos oceanos.

“Mito: mantém fresco. Realidade: sufoca”

A revista Economic Review do Omã “envolve” o planeta em plástico e usa a ideia de realidade e mito do plástico. Parece radical mas é complementada com o apelo ao uso responsável dos sacos de plástico.

“Os sacos de plástico matam”

GAIA, sigla de Global Action in the Interest of Animals, é uma associação belga de proteção dos animais. Para promoverem o uso responsável dos sacos de plástico, distribuíram sacos que “incorporavam” o conceito na imagem e texto impressos, mostrando como os sacos de plástico que vão parar aos oceanos matam, efetivamente, os animais:

Mais do que informação sobre o uso responsável do plástico, há cada vez mais alternativas. Cabe a cada um de nós fazer as escolhas mais sustentáveis para o futuro do planeta.